“Em uma quarta-feira compramos as passagens e, no sábado, descobri que estava grávida.”

Quem sou eu na fila do pão?

Meu nome é Fernanda, sou mulher, brasileira, imigrante no Canadá desde 2018, fotógrafa há 6 anos, mãe da Eliza de quase 3 anos e companheira de jornada do menino João Augusto.

E vou contar uma história que diz muito sobre mim neste universo ABOUT LOVE.

Era outubro de 2017, João me ligou e disse: “Decidi ir para o Canadá, vamos?”. Eu respondi “Vamos”. Em uma quarta-feira compramos as passagens e, no sábado, descobri que estava grávida. 
O meu sentimento era de uma menina de 15 anos que vivia mais um caso de gravidez na adolescência. Detalhe para o grau da minha maturidade: Eu tinha 34 e só conseguia pensar que meus planos foram por água abaixo. Chorei litros por uma semana tentando digerir aquele fato. 
João disse: “Vamos e ela vai nascer lá”. Eu disse mais uma vez “Vamos”. Muitas pessoas chamam isso de coragem, eu chamo de falta de noção do que estaria por vir. E foi. 
Eu sempre quis experimentar viver em outro país. João já estava com o Permanente Residente (documento que te autoriza a morar no Canadá com todos os direitos, menos de voto) desde 2015. 2018 era o ano limite pra vir, se não ele perderia esse documento que simboliza uma porta aberta para novas possibilidades de vida. Essa decisão não foi tão fácil pra ele que teve que desapegar de sua empresa, que criou e executou com tanto carinho cada detalhe. E quem é imigrante sabe que chegar aqui é ter que recomeçar do zero. Mesmo assim topamos o desafio. 
Era fevereiro de 2018 e chegamos em Calgary. Eu estava gravida de 5 meses da Eliza e, do avião, eu via a cidade coberta pela neve e por todas as expectativas que eu havia criado. 



Let's be friends on Instagram